Benedito Bentes e Bebedouro vão ganhar residenciais do Minha Casa Minha Vida

Prefeitura vai divulgar prazo para inscrições, que só devem começar depois que as instituições financeiras fizerem o contrato com as construtoras responsáveis

 A Prefeitura de Maceió, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (Sedet), foi autorizada pelo Governo Federal a efetivar a contratação de novas unidades habitacionais pelo Programa Minha Casa Minha Vida, totalizando 2.460 imóveis e um investimento de aproximadamente R$ 197 milhões. A Sedet deve divulgar o prazo para inscrições, que só devem começar depois que as instituições financeiras contratar as construtoras responsáveis.
Os imóveis construídos em Maceió serão nos bairros de Benedito Bentes, onde serão erguidos os residenciais Vale Bentes II, com 500 unidades habitacionais, e Oiticica I e II, com 500 unidades cada um; e em Bebedouro, que receberá os conjuntos Brisa da Lagoa I, II e III, com 320 unidades, cada residencial.
Com o anúncio dos novos residenciais, o prefeito Rui Palmeira reafirmou a prioridade administrativa em assegurar moradias para as pessoas que precisam. “Com a Portaria do Ministério das Cidades, agora podemos caminhar ainda mais rápido para diminuir o déficit habitacional de Maceió. A formalização dos contratos é algo que tramita de forma muito célere e vamos buscar, junto às instituições financeiras, esse convênio para iniciar as obras. Vamos lutar para acelerar o processo e garantir que em até dois anos, após o início das obras, as pessoas possam receber sua nova casa”, disse o prefeito Rui Palmeira.
As novas unidades habitacionais irão beneficiar a população que se enquadra na Faixa 1 do Programa Minha Casa Minha Vida. Esse segmento inclui aquelas que possuem renda de até R$ 1.800, nunca foram beneficiadas pelo programa, não têm casa própria ou vivem em áreas de risco e em situação de vulnerabilidade social.
“Quando assumimos, em 2013, Maceió era uma das poucas cidades que não tinham aderido ao Minha Casa Minha Vida. Aderimos, imediatamente, e de lá para cá, já foram concluídas mais de 10 mil unidades habitacionais. A cidade tem muitas áreas de risco e, no ano passado, sofreu bastante com as fortes chuvas. Aproximadamente mil famílias perderam suas casas e, felizmente, conseguimos inseri-las no Maceió I, último residencial que entregamos, no início deste ano, e que tem quase 4 mil unidades habitacionais. Com a autorização do Ministério, sabemos que essas novas moradias representam mais que uma casa. É dignidade para essas famílias”, destacou o gestor.
Inscrições
As novas unidades habitacionais ainda serão construídas e segundo a Portaria 321, publicada no último dia 15, pelo Ministério das Cidades, a instituição financeira terá de contratar as empreiteiras em até 60 dias. “Somente após esse prazo, a Sedet irá divulgar a data para o início das inscrições para os beneficiários”, explicou o secretário de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente, Mac Lira.
Ele informou ainda que “há a expectativa de que até o final deste semestre, novas habitações sejam selecionadas para Maceió”. Segundo Mac Lira, a Prefeitura de Maceió está em constantes articulações com o Ministério das Cidades para que o município seja contemplado com outras unidades, a fim de reduzir o déficit habitacional, que já caiu em quase 24%, nos últimos quatro anos.
Assim que as empresas construtoras receberem aprovação para executar os projetos, elas irão apresentar o cronograma de obras. “Normalmente, uma obra dessa dura em média 24 meses, podendo ocorrer imprevistos e esse prazo alargar um pouco mais, porém, iremos trabalhar para que até o final de 2020, essas novas unidades estejam prontas para serem entregues”, finalizou Lira.
TAG