Homossexuais celebram união em 1º casamento coletivo gay em Alagoas

'A oficialização é de extrema importância', disse um dos noivos. 
Cerimônia contou com 19 casais, sendo 14 entre pessoas do mesmo sexo. 


O projeto Justiça Itinerante, do Tribunal de Justiça de Alagoas, realizou o primeiro casamento coletivo gay do estado. 14 casais homoafetivos oficializaram a união, além de outros 5 casais formados por pessoas de sexo oposto, que também puderam realizar o matrimônio durante a cerimônia coletiva.
O evento, que abre o 15º Ciclo de Ativismo LGBT de Maceió, foi celebrado no pátio externo do Teatro Deodoro, localizado na Praça Marechal Deodoro da Fonseca, no centro de Maceió.
"É muito importante para a sociedade essa determinação da Justiça, principalmente para aqueles que não tiveram essa oportunidade, mas agora poderão fazê-lo. Já foram realizados outros casamentos coletivos, mas esse é o primeiro que inclui casais homossexuais", disse o oficial do 1º Cartório de Casamento de Maceió, Sebastião Cassiano Barros.
Casais aguardam para oficializar a união (Foto: Jonathan Lins/G1)Casais aguardam para oficializar a união
(Foto: Jonathan Lins/G1)
O casal Thiago Tavares, 25, e Sormanio Nazario, 45, estão juntos há três anos e decidiram oficializar a união.
"Queremos celebrar o relacionamento, pois achamos que a oficialização é de extrema importância", disse Thiago Tavares.
Para Nilton Alves e Jeferson Ferreira, a emoção do matrimônio é imensurável. "Estamos há quatro anos juntos, enfrentamos diversas dificuldades, mas enfim realizamos esse sonho", disse Ferreira.
O juiz da 10ª Vara Cível de Arapiraca e coordenador do projeto, André Gêda,  afirma que a importância é de legalizar as uniões homoafetivas. "Vale destacar que logicamente todos têm direito à formação
Ainde segundo o juiz, após a união, o casal passa a ter o mesmo direito que qualquer outro núcleo familiar, como diretos previdenciários, patrimoniais e até mesmo a adoção. "O núcleo familiar independente da orientação sexual", ressaltou o juiz.

Justiça Itinerante
De acordo com o Tribunal de Justiça, o projeto já viabilizou mais de 3 mil casamentos no estado, somente este ano.
As comunidades interessadas podem solicitar e agendar a presença da Justiça Itinerante para a realização de casamentos coletivos por meio de associações, igrejas ou instituições públicas.
Os custos cartorários são de responsabilidade das instituições solicitantes. Mais informações pelo telefone: (82) 4009-3162.
Casal celebra a união com um beijo (Foto: Jonathan Lins/G1)Casal celebra a união com um beijo (Foto: Jonathan Lins/G1)
Casal diz acreditar que oficialização do casamento é importante (Foto: Jonathan Lins/G1)Casal diz acreditar que oficialização do casamento é importante (Foto: Jonathan Lins/G1)
Fonte: G1 AL
TAG