Tina Turner, Gloria Gaynor... Por onde andam as divas gays que estão com 60 e 70 anos?


Tina Turner, Gloria Gaynor... Por onde andam as divas gays que estão com 60 e 70 anos?
Todos os dias somos bombardeados com as novidades sobre Lady GagaMiley Cyrus e Rihanna - mesmo que esta novidade seja mais uma foto no Instagram ou alguma confusão das beldades do momento.

Porém, raramente vemos notícias envolvendo as divas que fizeram sucesso nos anos 60, 70 e 80 - e que, hoje, com mais de 60 ou 70 anos continuam na ativa.

A CAPA foi atrás das novidades das divas das gerações passadas e que ainda hoje cantam, encantam e trazem um glamour diferente à música e aos palcos.


Afinal, como diz o filme Burlesque, que trouxe o encontro de Cher, que está com 68 anos, com Christina Aguilera, de 33, "é preciso de uma lenda para fazer uma estrela". Confira a lista exclusiva:

Tina Turner (74 anos)
São mais de 50 anos de história, performances, parcerias, sucessos, títulos (como a rainha do rock) e figurinos ousados. No último ano, a estrela tornou-se a mulher com mais idade a posar para a Vogue e também oficializou cidadania suíça. Outra surpresa da rainha foi casar-se pela segunda vez com o marido Erwin Bach, depois de 20 anos de namoro. Para 2014, a veterana prepara um novíssimo disco ao lado de Regula Curti e Dechen Shak-Dagsay. É aguardar...

Vale a pena escutar de novo: We Dont Need Another Hero (1985)


Aretha Franklin (72 anos)
É considerada a maior cantora de todos os tempos pela Rolling Stone e recebe o título de "rainha do soul" ou "dama do soul". E se você é fã de sucesso da diva, vai ficar enlouquecido ao saber que ela vai lançar um álbum surpresa e moderno neste ano. O CD "Sings Songs of the Great Divas" terá uma versão de "Rolling in The Deep", conhecida na voz de Adele.

Vale a pena escutar: I say a little prayer


Diana Ross (70 anos)
Admirada pela comunidade LGBT e copiada e dublada por travestis e drag queens, a diva já lançou álbuns que somam mais de 100 milhões de cópias. Diana tornou-se notícia recentemente pela vida pessoal: primeiro, quando o filho Evan Ross se casou com Ashlee Simpson e, em janeiro deste ano, quando foi a um restaurante e furou a fila. Profissionalmente, ela está cotada para cantar no festival Glastonbury, na Inglaterra. O jornal The Sun diz que a grana investida será alta, assim como a expectativa da apresentação.

Vale a pena escutar: One Love In My Lifetime


Cher (68 anos)
Considerada a deusa do pop e a única cantora a abocanhar todos os prêmios - sim, ela já levou até um Oscar - a mãe de Chaz Bono chegou a anunciar a aposentadoria em 2002, mas a verdade é que ela nunca deixou os palcos e a música. Depois das várias apresentações em Las Vegas, a cantora surpreendeu o público ao lançar um CD novinho e repleto de músicas românticas e dançantes - além de ter atuado no filme Burlesque, com Christina Aguilera. Com quase 70 anos, a diva promoveu o poder feminino com Womans World.

Vale a pena escutar de novo: A Different Kind Of Love Song


Cyndi Lauper (61 anos)
A cantora de voz potente e visual inusitado influenciou muitas artistas da nova geração, como Lady Gaga e Pink. Não é por acaso que a intérprete de "Girls Just Want To Have Fun" reina soberana como o seu fiel público, principalmente os LGBT. Em 2010, lançou o 11º álbum "Memphis Blues", e, em 2014, a trilha sonora do musical Kinky Boots levou o Grammy. Ainda hoje é ativista dos direitos LGBT e tem uma fundação, a True Colors, que promove a aceitação de pessoas homossexuais e trans em todo o mundo.

Vale a pena escutar de novo: Girls Just Want To Have Fun


Dionne Warwick (73 anos)
Prima de Whitney Houston, ela tem mais de 50 anos de carreira e estima ter vendido mais de 66 milhões de cópias. Em 2013, ela alegou falência e incapacidade de pagar as dívidas, fruto da má administração de seu ex-empresário. Mas, agora, está querendo dar a volta por cima: acaba de anunciar um novo álbum para outubro, o Feels So Good. Nele, ela fará duetos com artistas como Cee Lo Green, Ne-Yo e Cyndi Lauper. Imperdível.

Vale a pena escutar de novo: Heartbreaker


Gloria Gaynor (65 anos)
Ela é a simplesmente a cantora que lançou o hino gay "I Will Survive", em 1978, e continua fazendo shows pelo mundo com os seus dançantes hits. Porém, nos últimos anos passou a dar declarações com conteúdo duvidoso. Dentre elas, que espera que fãs gays encontrem a verdade de Jesus e pediu durante uma apresentação que gogoboys se retirassem. Preconceito? Em entrevista ao TMZ, ela disse que é somente uma questão profundamente religiosa.

Vale a pena escutar de novo: I Will Survive


Barbra Streisand (73 anos)
Diva dos gays, a cantora, diretora e atriz vendeu mais de 140 milhões de discos e divide com Cher a façanha de ter sido premiada com um Oscar. Recentemente, o seu mais novo álbum, Partners, a fez entrar novamente para a história. Ela é a única interpetre da história da música a ter um álbum no número 1 nas últimas seis décadas. Sim, "ela é destruidora mesmo".

Vale a pena escutar de novo: Woman in Love 
TAG