"Eu não era feliz como menina", diz garoto transgênero de 11 anos

Aos 3 anos (foto ao lado), o garoto canadense Wren Kauffman chegou a perguntar aos pais quando ele viraria menino. Foi aí que a mãe, Wendy Kauffman, percebeu que o caso do filho não se tratava de homossexualidade e, sim, de identidade de gênero.
Desde pequeno, Wren, hoje com 11 anos, odiava usar vestidos, era fã do homem-aranha e se vestia como super-herói no Dia das Bruxas. Os pais, que já notavam tais caracteristicas, resolveram prestar mais atenção quando a irmã do garoto, Avy, de seis anos de idade, resolveu dar um recado à mãe.

"Você sabe, mamãe, Wren é um menino e ele me pediu para te contar”, disse a garotinha à Wendy Kauffman, que relembrou a história.

Algum dias depois, a mãe resolveu sentar com Wren e conversar. "Eu amo você, quer você seja menino ou menina, e agora eu entendo. Nós vamos encontrar uma forma de te ajudar, e vamos fazer isso juntos", disse à época.

A partir daí Wren começou um longo processo de adaptação. Agora, ele se prepara para retomar à escola, onde todos sabem de sua condição. "Me sinto feliz por contar contei a todos. Se você não é você mesmo, tudo se torna triste e deprimente", afirmou em entrevista ao Daily Mail.


A escola onde o garoto vai estudar já permitiu que ele frequente espaços masculinos, como o banheiro. Apesar da facilidade, nem sempre foi assim. Wren já mudou de escola duas vezes, mas se mostra preparado para qualquer tipo de insulto homofóbico.

"Algumas pessoas gostam de me provocar, mas eu sei lidar com isso. Eu prefiro pensar que elas são apenas uma etapa inicial de prática para os verdadeiros idiotas que vão aparecer na vida", declarou.

Até o momento, Wren segue tomando injeções para atrasar a puberdade até os 16 anos, quando poderá optar pelo tratamento hormonal masculino.

Família reunida: a irmã Avy, a mãe Wendy e Wren Kauffma
TAG